DFSuin realiza Webinar sobre Adequações nas granjas de suínos para atender o bem-estar animal

O primeiro webinar realizado pela DFSuin/Sindisuinos em parceria com a Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), ocorreu na última quinta-feira (05/11). Com o tema: “Adequação de manejo e instalações para atender o BEA na Suinocultura”, o encontro contou com o acesso de 30 participantes, entre eles, gerentes e colaboradores das granjas, também estudantes de medicina veterinária e zootecnia.

Na palestra, o médico veterinário Iuri Machado, explicou que a garantia do bem-estar dos suínos está relacionada com a ambiência, com uma boa saúde e alimentação e uma boa funcionalidade das instalações. A abordagem destacou ainda, os seguintes itens: Até que ponto a legislação é um fator importante para a suinocultura no Brasil?  O quanto o mercado consumidor tem se movimentado nesse sentido?  E o quanto o BEA pode trazer de benefícios para o setor em produtividade e sustentabilidade?

Segundo o veterinário, ainda não existe no Brasil uma legislação específica para o bem-estar animal. “Inclusive a ABCS tem cobrado essa normativa junto ao MAPA, visando trazer segurança jurídica ao produtor brasileiro”.  Enquanto isso, a suinocultura nacional tem utilizado como referência a legislação europeia para atender os pré-requisitos dessa tendência mundial. Iuri ressalta que a gestação coletiva foi o assunto mais polêmico desde 2011, quando iniciou o debate de BEA no Brasil.

De acordo com Iuri, as maiores agroindústrias de proteína animal do país, assumiram publicamente o compromisso de atender os critérios de bem-estar. Atualmente, as equipes de produção das granjas, dos transportadores e dos abatedouros são constantemente capacitadas para proporcionar o máximo de conforto para eliminar o sofrimento dos animais durante todas as fases da granja até o abate. “Existe uma pressão grande no mercado consumidor manifestada por meio de ONGs, que são mais rigorosas até mesmo do que a legislação europeia, a qual nos espelhamos”, disse o palestrante.

No encerramento, foi apresentado sugestões de manejo e instalações para as granjas conceberem um projeto de adaptação pensando no bem-estar dos suínos, garantindo que os animais alcancem os indicadores técnicos, sem sofrimento.

Fonte: Ascom DFSUIN

 

DFSuin e Sindisuínos participam do Papo de Especialista na Expoabra Digital

A convite da Federação da Agricultura e Pecuária do Distrito Federal (FAPE-DF), a Associação e o Sindicato de Criadores de Suínos do Distrito Federal (DFSUIN e Sindisuinos) participaram na última sexta (06/11), do painel “Papo de Especialista” no evento Expoabra Digital, transmitido ao vivo do Parque de Exposições Granja do Torto em Brasília (DF). Com o tema “Panorama da Suinocultura do Distrito Federal”, o bate-papo virtual foi conduzido pelos empreendedores e especialistas do setor, Josemar Medeiros e Ivo Jacó de Souza, ambos com extrema experiência profissional na área e reconhecidos por desenvolverem um importante trabalho estratégico junto à toda cadeia produtiva.

Na oportunidade, o gestor executivo da DFSuin, Douglas Rocha, apresentou as ações da entidade que são desenvolvidas em parceria com a ABCS, a favor do crescimento e da sustentabilidade da suinocultura da região. Em seguida, o presidente da Associação e suinocultor, Josemar Medeiros, apresentou o Panorama da Produção de Suínos do DF, destacando que o setor é pujante e organizado na localidade, com granjas que dispõem de tecnologia avançada, legalizadas ambientalmente e orientadas para lidar com os animais dentro dos padrões de respeito ao bem-estar animal, desde a criação até o abate. As propriedades associadas correspondem a aproximadamente 95% da produção local e abastecem cerca de 80% do consumo de carne suína no DF. Os 23 associados (17 produtores e seis frigoríficos) geram emprego direto e renda para mais de 900 pessoas.

A suinocultura do DF conta também com uma bolsa de suínos, que reúne todas as sextas à tarde, produtores e frigoríficos associados para definir preços de venda semanal com base no comportamento do mercado. Este ano, o preço do kg/suíno vivo no DF chegou à R$ 9,20, a maior cotação de sua história.

De acordo com o Josemar, o cenário é positivo para o mercado brasileiro de suínos, entretanto, o grande desafio do produtor são os custos de produção. Como os grãos, milho e soja são os principais insumos utilizados na alimentação dos suínos, o custo de produção foi pressionado significativamente. Segundo o setor de suínos e aves da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), os custos subiram 8,6%. “Mesmo que as margens de lucro sejam apertadas, com as exportações elevadas e os contínuos aumentos de preços, o setor tem sido influenciado positivamente em 2020”, concluiu.

Por fim, o presidente do Sindisuínos, Ivo Jacó de Souza, também empresário do Frigorífico Sabugy Alimentos, expôs o ponto de vista da agroindústria de carne suína, comentando o cenário atual no DF, de mercado e comercialização neste período de pandemia.

Fonte: Ascom DFSUIN